Bitcoin recebe nova atualização: Taproot

A nova atualização da rede bitcoin, chamado Taproot, chegará em novembro para aprimorar mais a criptomoeda. Com o objetivo de trazer mais eficiência nas transações, tendo um sugestivo potencial para a criação de contratos inteligentes e aumentando ainda mais a privacidade da moeda digital.

Tudo isso foi acordado após um grande consenso da parte dos mineradores e a rede receberá seu update depois de quatro anos.

Essa será a mais nova atualização, após a última em 2017.

Segundo Alyse Killen, fundadora e sócia-gerente da Stillmark, à CNBC, essa atualização tem grande relevância, pois promete trazer muitas oportunidades para investidores que pretendem expandir a utilidade do bitcoin.

Criar contratos inteligentes na blockchain do bitcoin soa cada vez mais positivo, pois é de grande importância que a moeda torne-se mais do que apenas um ativo digital, essas atualizações prometem trazer mais automatizações para rede e privacidade nas transações.

Taproot, teve um apoio universal, um consenso geral de todos os mineradores de todo o mundo, pois essa atualização vêm somente com propostas benéficas para a rede sem praticamente lados negativos, diferenciando-se da “guerra civil”, nome dado à ultima atualização feita em 2017, na qual ocorreu um grande contra embate de ideias entre a comunidade dos mineradores, devido ao valor das taxas de transação e a lentidão nos processamentos de dados, surgindo até mesmo a ideia de dividir a moeda em duas.

Taproot e “assinaturas digitais”

A próxima principal mudança na rede da criptomoeda são as “assinaturas digitais”. Neste momento o blockchain (rede usada pelo bitcoin) utiliza o “Algoritmo de Assinatura Digital da Curva Elíptica”, o que garante que a moeda digital só possa ser gasta por seu proprietário legítimo já que é criada a partir da chave privada de uma carteira. Esse protocolo mudará para as chamadas “Assinaturas Schnorr” com a chegada da Taproot, isso tornará as transações de múltiplas assinaturas ilegíveis. As chaves privadas não terão mais tanta exposição na rede, resultando em uma maior privacidade para os usuários de criptomoeda. A preocupação atual do governo é sobre a lavagem de dinheiro usando criptomoedas, na qual o mesmo luta contra a rede que será implementada e não resultará em um maior anonimato para endereços individuais na blockchain que tem como público o bitcoin, as transações só se tornarão mais simples e indistinguíveis daquelas que são mais complexas e de múltiplas assinaturas.

Mais facilidade e valores mais baixos em contratos inteligentes

As novas assinaturas que foram incrementadas serão para os contratos inteligentes (acordos automáticos sediados na blockchain) uma virada de jogo, já que podem ser utilizadas para praticamente todos os tipos de transações, desde compra e registro de um veículo até pagamento mensal de aluguéis agendados. O Taproot torna os contratos inteligentes mais baratos e simples, consumindo menos espaço na blockchain, com isso a rede pode se tornar a opção mais fácil para criar ferramentas que vem ganhando mais popularidade. Os contratos inteligentes atualmente são criados de duas formas: Na camada de protocolo central do bitcoin ou na Lightning Network que é uma plataforma de pagamentos que foi construída na blockchain e permite transações instantâneas. Contratos realizados desse modo surpreendem com transações mais rápidas e baratas. Os contratos inteligentes serão o destaque dessa atualização, conforme Fred Thiel, CEO da Marathon Digital Holdings e especialista em mineração de criptomoedas, explicando também que “Os contratos inteligentes oferecem essencialmente a oportunidade de se criar aplicativos e negócios na blockchain”. O recurso já é a maior inovação da rede Ethereum e é apontado como um dos responsáveis pela valorização do Ether (ETH).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.