Ethereum 2.0: O lançamento da moeda que pode ser um marco para o seu bolso!

Foi confirmado, em menos de 24h o protocolo Medalla foi liberado, informou a Ethereum Foundation. De acordo com seu time de desenvolvimento, o último teste já foi iniciado pois o grande lançamento da Ethereum está previsto para o final deste ano.

Os usuários já foram liberados para testarem esse processo de validação via Proof of Stake, ressaltando que no Brasil existem sete nodes já testando esse novo processo de mineração.

Por que o ETH 2.0 está surgindo?

A Ethereum pode ser comparada com a nossa internet, pois as duas tem capacidade de dar funcionalidade e abranger diversos sites (aplicações descentralizadas), permitindo essa funcionalidade através de uma única Blockchain, seu propósito primordial era ser uma Blockchain, trazendo mais facilidade e privacidade para seus usuários ao transacionarem suas aplicações de modo descentralizado. Trazendo mais simplicidade na criação de ativos digitais descentralizados e também desenvolver e criar outras soluções descentralizadas, ela surge para facilitar pois sem ela o usuário necessitaria criar uma Blockchain, esta ação demandaria alto custo e muito tempo e de acordo com a abrangência da Blockchain poderia colocar em risco toda a sua aplicação. Muitos investidores “colocaram na balança” essas questões e facilidades trazidas pela Ethereum fizeram um comparativo em investir na Internet 2.0 e investir na Ethereum.

Pensando nesse cenário muito positivo que enche nossos olhos surge a grande pergunta que não quer calar, como a Ethereum dará conta de todas essas aplicações?

Pensando nisso, é que resolveram lançar a ETH 2.0, pois é uma grande atualização da ETH, que vem com o enorme objetivo de resolver o problema da escalabilidade da moeda que por vias de fato já estava sendo afetada, resultando em altas taxas na rede.

O que o ETH 2.0 mudará?

O ETH, vêm com uma proposta nova nessa atualização, com três mudanças principais contando com  a alteração do algoritmo de consenso de Proof of Work para Proof of Stake, alteração do modelo de Blockchain (dividindo a Blockchain em 64 partes diferentes) e criação de uma nova Blockchain (a Beacon Chain).

Para melhor entender, explicaremos melhor essas três mudanças.

Algoritmo de consenso

Atualmente o modelo Proof of Work é utilizado para validar transações ETH, esse método é realizado com base em uma validação realizada por vários cálculos matemáticos. Esses cálculos demandam uma grande capacidade operacional dos computadores envolvidos e geram um grande custo de energia, por isso o modelo proof of Work é visto como uma grande barreira para novos mineradores na rede já que poucas pessoas conseguem minerar e a rede acaba se tornando centralizada por um longo período, o que pode não ser favorável. 

A mudança do formato de validação das transações da ETH, é a primeira mudança apontada para o sistema. A Ethereum pretende alterar seu algoritmo de consenso Proof of Work para Proof of Stake, um modelo descentralizado, acessível e mais barato.

No Proof of Stake o indivíduo que deseja minerar ETH enviará seus tokens para um contrato inteligente, onde esses tokens serão congelados. Para maior chance de minerar e validar transações de um bloco, o contrato inteligente precisará ter o maior saldo de pessoas, pois a rede sorteará de uma forma aleatória e com base na quantidade de tokens, escolhendo assim um indivíduo para validar cada bloco. Os demais indivíduos conferem se essa validação é verdadeira.

Nova Blockchain

Na transação do ETH 1.0 para o ETH 2.0, uma nova Blockchain será criada, ela andará junto com esse novo modelo de validação, e será denominada como Beacon Chain, onde as inovações serão todas testadas para que possam ver como será seu desempenho e assim validadas. Após esses testes a Blockchain do ETH 1.0 sofrerá essa transação para o ETH 2.0, onde será integrada nessa atualização com a Beacon Chain, formando esse ecossistema de Blockchains denominado assim de Ethereum 2.0.

Novo formato de Blockchain

Outra grande novidade apontada para a Ethereum é um novo formato de divisão da base de dados da blockchain atual que será desconstruída em 64 partes (chamadas Shards) que se comunicarão entre si, formando a Blockchain da Ethereum. 

Visando o aumento da escalabilidade da blockchain, essa foi uma das propostas mais estudadas, assim como as soluções off chain (como a Lightning Networking, implementada no BTC).

O que esperar da ETH 2.0?

A ETH 2.0 tem sua implementação total prevista para o ano de 2025 a 2030 e sem dúvidas é o movimento mais renovador já visto no mercado de criptomoedas. Esse movimento promete ser um marco na história dos criptoativos já que aponta uma grande escalabilidade que a ETH irá atingir e se isso ocorrer, a Ethereum terá seu valor e utilidade maior do que atualmente.

Enquanto esse momento não chega, seguimos estudando e aguardando ansiosamente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close Bitnami banner
Bitnami