Investidor que aplicou R$1 mil na poupança em março deste ano, se tivesse investido em Bitcoin teria hoje R$3 mil. Em sete meses, pioneira entre as criptos salta de R$ 20,5 mil em março, no auge do tombo da pandemia, para o maior valor da história na paridade com a moeda brasileira.

Na manhã desta sexta (06), o bitcoin superou os R$ 85 mil e bateu seu recorde de preço em reais. Mais que isso: no horário de publicação deste artigo, a criptomoeda já havia subido mais e chegava em R$ 87 mil.

Antes do recente rali, o maior valor que o BTC já havia atingido em reais havia sido de R$ 69,9 mil na abertura do mercado em 17 de dezembro de 2017, o momento de maior pico da moeda virtual até hoje.

O marco de hoje impressiona pela rapidez com que a pioneira entre as criptomoedas se recuperou do tombo que a pandemia do novo coronavírus causou nos mercados financeiros. No início de março o BTC chegou a custar aproximadamente R$29 mil. ” Mesmo com alta volatilidade do mercado, estamos fechando 2020 com o BTC negociado a R$87 mil, isso já representou quase 200% de valorização” diz Ronaldo Ortiz – Diretor executivo da Gooplex.

Um dos motivos da recente valorização da moeda foi o anúncio da PayPal no mercado de criptomoedas. Em parceria com a empresa Paxos, o novo serviço permitirá que usuários dos Estados Unidos comprem, vendam e mantenham moedas digitais como Bitcoin, Ethereum, Bitcoin Cash e Litecoin em suas carteiras.

Na Gooplex você pode manter sua carteira de bitcoins em segurança e esperar o momento oportuno para fazer a paridade BTC-BRL. Vai deixar escapar esta oportunidade?